Empresas brasileiras usam a energia solar fotovoltaica como diferencial competitivo em seus produtos

A crise energética que vem assolando nosso país de forma cíclica, impacta nas conta de luz com aumentos de até 60%. Uma das alternativas tem sido a adoção de energia solar. Essa fonte de geração de energia traz benefícios econômicos, e algumas empresas usam como diferencial competitivo de seus produtos, além de contribuírem nas melhorias sociais e ambientais.

Nos últimos anos, o meio ambiente contribuiu para agravar o panorama economônico com a falta de chuva em quase todo o Brasil. Esse fator impactou fortemente na vida econômica das empresas, que dependem 100% da energia elétrica e esse, por determinação do governo, veio acrescida de uma taxa extra sobre a faixa de consumo, acarretando em aumentos de até 60% na conta no final do mês, sacrificando ou, em alguns casos, detsruindo as margens de contribuição e lucro das empresas.

A geração de energia alternativa tornou-se uma saída viável para a empresas e a energia fotovoltaica veio como uma solução que tiraria muita empresas do vermelho. Essa alternativa que tem sido adotada por empresas de todos os portes, onde a geração distribuida e beneficios de incentivos governamentais de crédito para a adoção de tecnologias sustentáveis de geração de energia tem sido o grande propulsor. Isso sem considerar os impactos positivos na imagem da empresa, pela adoção de energias renováveis, o que contribui para a sustentabilidade e preservação do meio ambiente.

Uma grande construtora de Belo Horizonte, que faz obras residenciais de empreendimentos voltados a classes B e C, começou a implantar a energia solar fotovoltaica nas futuras construções. O diretor comercial da empresa de Engenharia para Minas Gerais, Bahia, Sergipe e Alagoas, Yuri Chain, explica que a energia fotovoltaica é um projeto inovador que terá R$ 800 milhões de investimento da empresa nos próximos cinco anos. “Todos os nossos empreendimentos vão ser abastecidos com energia solar tanto no imóvel como no condomínio”, diz Chain.

Essa iniciativa vai refletir diretamente no bolso do cliente que compra um imóvel da construtora. Segundo Yuri o apartamento será autossuficiente na geração de energia, então o cliente deixa de pagar a conta de luz. Em alguns casos, de acordo com nossos estudos, as pessoas vão até receber um crédito, porque o condomínio vai poder vender energia para a rede, então a pessoa vai ficar com um crédito e, talvez, poder até monetizar esse crédito”, explica.

Este cenário atraiu para o Brasil, rico em insolação em grande parte seu território, empresas fotovoltaicas internacionais especialistas em exploração de usinas de energia limpa. Dentr os novos players que estão investindo pesado no Brasil está a italiana Enerray do Brasi, lider em montagem de usinas fotovoltaicas. Segundo o Diretor da empresa, Thomas Kraus, o Brasil é um mercado com perspectivas de crescimento muito significativas a médio e longo prazo e a Enerray pretende se estabelecer como uma importante empresa no setor de energia renovável. A Enerray do Brasil, especializada em energia fotovoltaica é subsidiária da SECI Energia da Itália e faz parte do Gruppo Industriale Maccaferri, com negócios em diversos segmentos e operação mundial.

A Enerray usará de sua expertize para a construção de usinas de geração de energia para empresas de todos os portes. Além de instações em diversas localidades do mundo, de usinas fotovoltaicas para alimentar empresas, A Enerray do Brasil participa da construção de duas usinas no interior da Bahia. Essas usinas serão responáveis pela geração de uma produção anual está estimada em 700 GWh.